Mês: julho 2018

CoreTrustSeal: nova certificação básica para repositórios

No nosso post anterior vimos como funcionam as certificações para repositórios de dados. Existem três níveis de certificação e, no nível básico, o Data Seal of Aproval (DSA) e o World Data System (WDS) eram as ferramentas utilizadas. Através da Data Archiving and Networked Services (DANS), ocorreu no fim de 2017 uma fusão entre o DSA e WDS, formando o CoreTrustSeal: uma certificação de repositório de dados que substitui estes dois outros selos. O CoreTrustSeal é uma organização sem fins lucrativos de base comunitária que promove infraestruturas de dados sustentáveis ​​e confiáveis. É regido por um Conselho de Normas e Certificação composto por membros eleitos representando a Assembleia de Revisores e membros nomeados representando os maiores repositórios de dados.

O CoreTrustSeal está desenvolvendo um modelo de negócios sustentável e, como um passo inicial, começou a cobrar uma taxa modesta para cobrir os custos administrativos em janeiro de 2018. A certificação CoreTrustSeal se esforçará para fornecer certificação de nível central para outras entidades de pesquisa, como serviços de dados e software, e é concebida como o nível inicial em uma estrutura global para certificação de repositório, que também inclui níveis estendidos e formais. É baseada no catálogo e nos procedimentos de Requisitos de Repositórios de Dados Confiáveis ​​do Núcleo DSA-WDS . Esse catálogo universal de requisitos reflete as características centrais de repositórios de dados confiáveis ​​e é o resultado de um esforço cooperativo entre a DSA e a WDS, sob a égide da Research Data Alliance (RDA), para mesclar suas certificações de repositórios de dados.

Novos aplicativos DSA serão canalizados por meio do CoreTrustSeal. Espera-se também que os repositórios previamente certificados pela DSA passem para o CoreTrustSeal à medida que renovam sua certificação. Da mesma forma, o WDS agora exige que seus membros regulares solicitem ou renovem a associação para obter a certificação do Repositório de dados do CoreTrustSeal. Um conselho ad hoc estabelecido pela WDS e pela DSA está assumindo suas responsabilidades até que a diretoria fundadora seja eleita. Um Comitê Consultivo também será designado para auxiliar o Conselho do CoreTrustSeal a cumprir sua missão e fornecer um vínculo com as partes interessadas do CoreTrustSeal e com a comunidade de dados mais ampla, incluindo outros padrões de certificação. 

Entenda como ocorrem as certificações para repositórios de dados

Acessar, usar, compartilhar e reutilizar recursos de informações digitais (incluindo dados) sempre representará desafios. Como saber se um repositório é confiável? O que você faria se os repositórios aos quais você confia seu “capital digital” o deixassem para baixo? O gerenciamento sustentável de recursos de informações digitais requer suporte para o trabalho em  políticas bem definidas e  planos de gerenciamento de dados  que incluam todos os processos dentro de seu ciclo de vida específico, bem como em padrões em TDR (Trusted Digital Repositories, ou “Repositórios Digitais Confiáveis”, em tradução livre).

Existe uma infinidade de modelos, padrões e melhores práticas abordando as diferentes facetas para o acesso de longo prazo dos recursos de informações digitais. A preservação destes últimos a longo prazo não se limita ao armazenamento e backup; em vez disso, envolve estratégias multifacetadas destinadas a fornecer um ambiente confiável onde os recursos de informação podem evoluir junto com as mudanças na tecnologia, hardware e software.

Essas estratégias multifacetadas antecipam e atendem às necessidades de compartilhamento, publicação, preservação e acesso de longo prazo dos recursos de informações digitais, garantindo que elas sejam utilizáveis ​​para o benefício de outros, tanto no momento do depósito como no futuro.

European Framework for Audit and Certification (numa tradução livre, Marco Europeu para Auditoria e Certificação) garante que repositórios digitais possam receber diferentes certificados, permitindo que os repositórios mostrem um dos três símbolos (a serem aprovados em Certificação Básica, Certificação Estendida e Certificação Formal) em suas páginas da web e outras documentações, além de qualquer outro Selo de Aprovação de Dados (DSA), selo NESTOR, ou marcas de certificação ISO 16363.

O primeiro nível (Certificação Básica) requer alguns dias de esforço dos repositórios. O DSA e o WDS são ferramentas leves que podem ser facilmente usados ​​para a autoavaliação da comunidade. Os dois últimos níveis (Extended e Formal Certification) apresentam padrões de auditoria para repositórios digitais confiáveis e exigem vários meses para coletar informações muito mais detalhadas do que a DSA, por exemplo.

Os repositórios digitais que atingiram padrão de estatuto do TDR têm uma missão explícita de preservar recursos de informação digital (incluindo dados) a longo prazo. Também se trata de garantir que esses recursos sejam utilizáveis ​​e reutilizáveis ​​para o benefício de outros, tanto no momento do depósito como no futuro. São os atributos e responsabilidades de um repositório neste nível.

I LATmetrics e a altmetria no contexto da Open Science

Os dados de pesquisa são cada vez mais reconhecidos como uma saída importante da pesquisa acadêmica, no entanto, ainda não existem métricas de dados de pesquisa padronizadas ou abrangentes, como existem nos artigos. Enquanto os padrões de citações de dados estão sendo construídos e ganhando a adoção pelo usuário, ainda não há métricas de uso (visualizações, downloads) de dados. Além disso, as citações de dados ainda não são contadas e agregadas em métricas claras, como é feito para artigos.

Sobre essa temática, entre os dias 28 e 30 de novembro de 2018, a cidade de Niterói, no Rio de Janeiro, receberá a primeira edição do LATmetrics – Altmetria e Ciência Aberta na América Latina. O evento internacional será realizado no Núcleo de Biomassa da Universidade Federal Fluminense (UFF) e visa promover o debate sobre o uso de métricas alternativas para a circulação da ciência e práticas científicas abertas no território latino-americano.

O I LATmetrics surge em um momento de efervescência tanto para a comunicação científica quanto para a geografia da ciência. Mídias sociais e outros espaços digitais têm sido cada vez mais usados por pesquisadores e instituições para o compartilhamento de suas pesquisas com a sociedade, mudando a forma como medimos o impacto social da produção acadêmica. Novas oportunidades e uma série de desafios se impõem aos países periféricos, visto que a cobertura e a qualidade dos dados sobre métricas alternativas não costumam ser compatíveis com as dinâmicas da comunicação científica desenvolvidas nesta região.

Diante desse panorama instigante, pesquisadores de diversas áreas do conhecimento se reunirão pela primeira vez para compartilhar os avanços da pesquisa sobre altmetria e da ciência aberta no contexto latino-americano. Voltado para pesquisadores, avaliadores da ciência, agentes de decisões de políticas públicas, bibliotecários, instituições de pesquisa, estudantes e demais interessados, o I LATmetrics discutirá temas relacionados à circulação científica nos espaços sociais digitais, à cobertura de dados e ao impacto da ciência para a sociedade.

Entre os eixos temáticos, pretende-se discutir questões relacionadas à:

– Cobertura de dados na América Latina
– Ciência aberta na América Latina
– Métricas alternativas (altmetrics) na América Latina
– Circulação e divulgação científica
– Ciência e sociedade – interações públicas com a ciência
– Políticas públicas e políticas científicas
– Estudos bibliométricos e avaliação da produção científica
– Aquisição de financiamento
– Construção de colaborações de pesquisa internacionais
– Avaliação da produção científica em línguas não-inglesas
– Artes e humanidades: avaliação dos resultados da pesquisa não
tradicional

Para além dos debates, o evento será pioneiro na consolidação de uma comissão latino-americana de especialistas em altmetria. A partir dessa iniciativa, pretende-se construir ferramentas e estratégias para viabilizar a aplicação dessa corrente de mensuração na avaliação de pesquisas na região, trazendo resultados efetivos e atualizados sobre os benefícios da pesquisa científica para suas nações.

Ficou interessado? Interessados em participar dos grupos de trabalho e/ou apresentação de painéis e pôsteres deverão enviar um resumo expandido da pesquisa (título, 250-500 palavras e até cinco palavras-chave) até o dia 20/07. Clique aqui para acessar o formulário para submissão de propostas.

Quer saber mais? Acesse o site do MakeDataCount, projeto que visa determinar quais métricas de dados oferecem mais valor para a comunidade científica.

 

Novidade: acompanhe-nos no Twitter e Facebook!

Nosso site está se desenvolvendo e, para auxiliar na divulgação de nossas atualizações, informes e relatórios, foram criadas uma conta no Twitter e outra na rede social Facebook.

Através destes canais ocorrerá a divulgação das nossas postagens. Clique nos links acima e acompanhe-nos!